Entrevista Daniel Vaz

DANIEL MONTEIRO VAZ é natural de Santos, litoral de São Paulo. É formado em Administração de Empresas pela Fundação Lusíada (Santos), e pós-graduado em Tecnologia da Informação pela Universidade Presbiteriana MACKENZIE. Atuou durante mais de 20 anos no varejo de alimentos, exercendo funções técnicas e administrativas em diversas áreas. A experiência adquirida nas funções permitiu-lhe um profundo conhecimento sobre funcionamento dos sistemas ERP para gestão de varejo.

Em 2001, foi promovido ao cargo de Controlador de Gestão em uma das unidades do grupo. A visão estratégica proporcionada pelo cargo permitiu-lhe o aprimoramento do conhecimento de toda a cadeia de processos e operações do grupo. Tão logo, surgiu a necessidade de se obter a informação que não estava disponível nos relatórios dos sistemas legados e ERP que a empresa utilizava na época. "Como gestor, passei a ter a necessidade de trabalhar com a informação. O conhecimento e a informação sistêmica passaram a ser a minha ferramenta de trabalho." Não obstante, a busca pelos "relatórios alternativos" e dados criteriosos iniciaram seu aprendizado pela área da Tecnologia da Informação. "Sempre vislumbrei a área de Tecnologia como um aliado ao potencial de crescimento do negócio".

Desenvolveu uma série de ferramentas, em que eram extraídas informações do Banco de dados Oracle, através de bats e scripts SQLs, que posteriormente eram consolidados em um banco de dados Access, para serem criados os relatórios de apresentação em Excel. "Tais conhecimentos adquiridos me permitiam conquistar os resultados e atingir as metas propostas ". Neste período, destaca um sistema de acompanhamento de resultados diário, com base nas informações consolidadas de venda, margem de lucro, despesas operacionais e despesas contábeis. "Consolidei vários sistemas para trazer a informação para um ponto único. Analisávamos diariamente a performance dos departamentos, cobrando dos gestores ações para que pudessem atingir os resultados propostos. Com este mesmo sistema, realizávamos simulações sobre perdas de margem e os impactos no resultado da loja. No final do mês, as contas eram fechadas e o EBIT final era o mesmo que havíamos previsto." As ferramentas desenvolvidas, apesar de forma precária, auxiliaram no controle mais criterioso, de forma a garantir o controle orçamentário.

Em 2003, foi convidado para inaugurar uma nova filial do grupo, em São Paulo, na função de Gerente de Organizações e Sistemas. Como GOS, era responsável pelo Abastecimento, Gestão de Estoque e TI. A experiência adquirida no processo de inauguração da loja proporcionou-lhe um convite para trabalhar com projetos dentro do grupo. Durante 02 anos, trabalhou na concepção de um projeto de centralização, visando unificação das compras (e sistemas) para a Matriz do grupo, atuando na coordenação do processo de centralização das lojas, criação das sedes de compras e formação de equipes nas lojas e nas sedes. Durante este período, viajou para o Nordeste, Rio Grande do Sul, Paraná, Manaus, São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Goiânia e Espírito Santo. Atualmente trabalha com Desenvolvimento Logístico, atuando no desenvolvimento de relatórios para sistema Business Intelligence, automatização de rotinas de trabalho utilizando Vba Excel, extração de dados das bases lojas e Cds para consolidação de informação. Desenvolveu um portal (intranet) consolidando dados e indicadores logísticos, ajudando a melhorar a qualidade da operação. Posteriormente, desenvolveu um sistema de controle para abastecimento das promoções, melhorando o índice de ruptura dos tablóides. No projeto atual, desenvolve um sistema para previsão de demanda promocional, utilizando Inteligência Analítica, tema que foi abordado em sua monografia.

Diante das possibilidades oferecidas pelo mercado de TI, especialmente o de desenvolvimento de aplicações, resolveu fundar a GEPER, empresa de desenvolvimento de softwares. "Software é um produto, e adoro cuidar de todas as etapas, desde o processo de criação até o treinamento do usuário. Gosto de ver as pessoas utilizando meus softwares e percebendo o quanto podemos simplificar os processos para o usuário final".

Como surgiu a idéia de montar uma empresa de softwares?

Sou formado em adm de empresas e trabalhei muito tempo na área de controladoria e gestão. Sempre me deparei com a dificuldade de controlar processos empresariais, e então percebi que poderia simplificar e controlar melhor os processos utilizando ferramentas de apoio. Passei a desenvolver alguns sistemas de minha própria autoria, e depois de algum tempo, passava a maior parte do tempo desenvolvendo ferramentas que permitissem aos executivos a facilidade na tomada da decisão.

Como é o conceito de software, para você?

O software é um produto - Ele deve ser arrojado ao ponto de não apresentar erros de execução, e tem que ser eficiante. Além disso, é importante levar em consideração o design gráfico. Um sistema bastante intuitivo que possui um design arrojado, é muito mais aceito pelos usuários. Neste ponto, o segredo é a convergência entre a engenharia do software e a qualidade da apresentação do mesmo. Nossa missão é desenvolver softwares de alta eficácia e aparentemente simples, permitindo seu acesso desde alta cúpula até a base de usuários de uma organização. O Software também é um serviço. Voce vende o sistema oferecendo um suporte técnico de primeira linha, e tudo isso acaba impactando na experiencia final dos usuario.

Em que segmento de mercado a Geper atualmente está atuando?

Atualmente temos uma linha de produto que é comercializado para os pequenas / médias empresas - O gransoft - que possui várias versões (atualmente estamos desenvovlendo uma para o comércio de veículos). Porem também atuamos para o desenvolvimento de ferramentas personalizadas para grandes empresas. Atualmente trabalhamos utilizando a tecnologias Microsoft - programando o Code-Behind com C$, utilzando Javascript, HTML5 e JQuery para apresentação final ao usuário.

Quais os planos futuros para o desenvolvimento da empresa?

Começamos a desenvolver sistemas a pouco tempo, porém somos ambiciosos. Temos muitas idéias e esboços de projetos. Nossa meta é desenvolver uma família de softwares que possa ser acessados via web e aplicativos móveis. Vamos investir mais em nossa marca e firmar parcerias com universidades e cursos locais.

Na sua opinião, qual a maior dificuldade no segmento de TI?

Adquirir mão de obra competente. Parte dos profissionais de TI não estão preparados para a realidade do mercado, e é de nossa obrigação garantir a formação necessária destes profissionais para garantir a qualidade na elaboraão de nossos serviços.